Opúsculo de um Vencido

sábado, 7 de agosto de 2010

Tua Alma

Por mais que a certeza me torture,
E contristada a minha voz arqueje;
E que o teu beijo vago inda deseje;
E, eu, o teu mistério não mensure;

E aos teus formosos pés, ai rasteje;
E a inexprimível dor aqui perdure;
E o teu silêncio insano me censure;
E uma outra boca em Paz te beije;

Não chego a desvendar, ó, criatura!
Para deitar, enfim, noutros regaços,
Se isso foi um sonho ou só loucura.

Nem do Passado vejo os estilhaços,
Só sei que nestas trilhas de amargura,
Tua alma é a sombra de meus passos...

( Queiroz Filho ) 30/5/2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário