Opúsculo de um Vencido

segunda-feira, 28 de março de 2011

O Breve Monólogo de Baltazá

Bão! Mo nomi é Baltazá,
Tenhu quinzi anu di fomi
I us memu quinzi di azá.
Moru num lugá sem nomi,
Tumbém, num tem qui nomi dá!
Memu assi cabi eu e mia mãe Maria
I u meu quirido pai Bast'ão;
Ah! Tô mi squicenu dus meu oit'irmão
I di mia irmanzia Sufia
Que tá c'os oto, trabaianu
I cum meu pai, lá num lixão.
Modi qu'eu, todus dia du anu
Vô cum mãe passiá na cidade
Pá modi vê si cunsiguimu ua caridade.
Só qui só vô pa vê a minina bunita.
Qui quando veju, o mo peitu, di filicidade
Abobádo, parpita, qui parpita!
I quandi orçu sua mãe falanu
U nomi pur dimai lindu nessa vida:-Nuelita!
I meu oio vão marejando
Dessa paxão, meu Deuizinho, tão bendita!
Qui já num mi guentu e choru.
Apois, creiu im Deus e a ele oru
Qui um dia hei di cum Nuelita casá!
I haveremu di tê memu ua casa:
A mai bunita, grandi i arta!
Pá modi noi doi ficá.
I pá sempri junto se amá
Qui nem doi santu, num artá...

( Queiroz Filho)

Nenhum comentário:

Postar um comentário