Opúsculo de um Vencido

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Palavras Doces

Tu que ofertaste a mim esse mistério,
Que se desbota em Sonhos de agonia,
Não vês na minha Alma o cemitério
Das Crenças que assassino à revelia?...

Não vês que esta onerosa aleivosia
De me embalar em teu beijo etéreo,
Sem que comigo estejas um só dia,
Sempre será um mero despautério?

Quem dera fosse eu, esquizofrênico
E a vil Joana D'arc, a mim, tu fosses!
Ou essa vida fosse um palco cênico

Onde os nossos monólogos e poses
Seriam como o mito mais Helênico:
- Eco e Narciso... Ó vãs palavras doces!...

( Queiroz Filho)

Um comentário:

  1. Me rendo perante tua sensibilidade!!!
    Lindo e inquietante, ainda mais que encontrou ECO em minha alma, que ainda transborda de tanto contentamento...”
    “È seu...”
    Seu...
    É nosso...( me faz teu espelho?)
    “Oh vãs palavras doces...” Minhas?? Tuas?? Nossas??
    “Palavras doces...”
    Doces... beijos....

    ResponderExcluir