Opúsculo de um Vencido

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Deusa Morta

No coração de todas as Mulheres
Crepita algum mistério insondável,
Mas tu, pacóvio moço, não esperes
Vencer-lhe o régio fogo formidável

Pois ele jaz ao cofre impenetrável
Da mística opulência dos prazeres...
A todo o amor, inútil é tu sofreres
Se o etéreo bem é sonho fatigável!...

Acalma-te nos braços dessa Amante
Que a tua solidão sempre conforta,
E aos teus deslizes vive irrelevante

E nem de outros carinhos te aborta,
Que amar uma só mulher e ser constante,
É como que adorar uma Deusa morta...

(Queiroz Filho)

Nenhum comentário:

Postar um comentário