Opúsculo de um Vencido

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Lubricidade


Prostrados neste leito formidável,
Tomados de luxúrias inclementes,
Oferto-te os meus beijos ardentes
E este Desejo altivo e incansável...

Pois tu és o meu delírio inegável,
E a minha fome insana e insolente,
Ou toda a sensação inconsequente
Vivida em meu ciúme miserável...

E ao ver-te já exausta sobre a cama
Eu noto o teu olhar qu'inda me chama
Com trêmulos ardores incontidos...

E, eu, que ao teu carinho irrestrito
Sou chuva inabalável... Sou granito!...
Esparjo-me em teus seios incendidos...

( Queiroz Filho )

Nenhum comentário:

Postar um comentário