Opúsculo de um Vencido

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Elas por Elas...

Ó Padre, me ajude!... Estou perdida!...
Pois ontem tive outro sonho estranho,
Sonhei que por um Anjo era fodida
Enquanto estava eu, tomando banho!...

- Ó Pai, mais que história pervertida!
Acalme-se querida, ou eu me acanho...
Venha ao confessionário, é a sua saída
Pra que Deus não a exclua do rebanho...

- Agora sim, bebamos um bom vinho,
Com ele, o teu corpo, enfim, sossega,
E, assim, exorcizamos esse Anjinho!...

- Mas que é isso, Padre, esse esfrega?!...
- Relaxe e só me chupe com carinho,
O Vinho ao menos é de boa adega!...

(Queiroz Filho)

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Pêsame

Essa Dor que a tu’Alma desaninha
E o pranto que a retina te sacode,
Ante a mágoa que o seio teu definha,
Meu amor que é todo teu e nada pode,

Senão chorar contigo, ó Irmãzinha!
Pois de tal mal só Deus é que te acode
E que de muda, triste e pobrezinha,
Venturosa a fará numa infinda Ode!

Que viva no celeste véu d'outrora,
Transporá as alcovas da memória,
Onde a Saudade tua, sem demora

Gozará da lembrança a afável glória,
Pois todo coração uma ausência chora,
Mas só o vero Amor excede a estória!...

( Queiroz Filho )