Opúsculo de um Vencido

terça-feira, 10 de julho de 2012

“Odara”

Em uma incauta noite de Natal,
Um velho atordoado se depara
Com aquela saudade - a mais cara!
O lenço que restou do funeral

Dum desmedido Amor celestial
Que fez seu mundo ai ficar “Odara”!
Até o dia em que Ela se chocara
Com uma ambulância de hospital.

Fatídica ironia! – o velho pensa.
Calando em si a antiga dor intensa,
Pois retraindo as lágrimas resiste

E geme em silêncio a sua mazela
Pois no atropelamento ao lado dela
No lenço ia escrito: O amor existe!...

(Queiroz Filho)

Nenhum comentário:

Postar um comentário