Opúsculo de um Vencido

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Prece

Omnipotente Astro majestoso!
Silencioso Espírito de Deus;
Terror particular de nossos breus:
Essência do que é belo e poderoso:

Divina chama; Mãe dos apogeus:
Santifiques, ó Rei, nossos suores,
Moldes com tua Luz dias melhores,
Reveles o mistério desse Adeus

Que o corpo dá à Alma, erroneamente!...
Que, Deus, se a Saudade, nos consente,
Não nos consente ver, da alma, Além...

Aqueças nossas lágrimas geladas,
Proteja-nos das Noites assombradas,
Proteja-nos, enfim, de nós também!...

(Queiroz Filho)

segunda-feira, 27 de maio de 2013

...

Atapetei a vida com espinhos...
Um pássaro pousou no meu olhar...
Embriaguei teus vagabundos vinhos...
Razão, dê-me licença, vou passar!...

O teu pudor me inibe de gozar...
Confessionalistas são mesquinhos...
Jeová, palma com palma a nos orar...
Satanás coze auréolas aos anjinhos...

Tu, meu ronceiro coração ranzinza...
Fingiu-se nosso azul de negro cinza...
Troquei palavras com a noite muda...

Loucura, incoerência ou solidão?...
Careço é, enfim, sair desse alçapão...
Não acho um suicida que me acuda!

( Laura Alves Coimbra )

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Formosa

Como és formosa, ó, amada minha
Qual o roxo lírio eis que és formosa,
Teus olhos são as pombas que asinha
Lá ao Céu elevam a Alma jubilosa

Deste almo pastor que se encaminha
Às colinas da espádua mais viçosa,
Aonde jaz em fio a mansa cabritinha
Do rebanho de tua madeixa mimosa...

Que de Sião, ante o gigante Gileade,
De haver, não poderá, fronte mais bela,
Tão ornada de Ternura e Bondade...

Ó, minha amada amiga e doce gazela,
Do régio Amor, me tiraste a Liberdade
E do ciúme, em par, deste-me a cela!...

Queiroz Filho