Opúsculo de um Vencido

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Albergue

À envernizada mesa se ostentava
Um carcomido e rude candelabro,
Vestia-se de enxofre o odor macabro,
Enquanto, a noite, ali, se declinava.

Uma coruja ao longe, agourava,
Do albergue, esse sinistro descalabro,
Pois lá morrera o pobre jovem glabro
A quem só o silêncio amparava:

Ó, que horrendo e trágico opróbrio!...
Um tiro disparou contra si próprio
E estrebuchou sozinho sobre o chão,

Que Deus tenha essa alma, perdoado!...
Miolos!... Sangue!... Dor por todo lado!
... Demônios lhe arrastam pela mão!

( Queiroz Filho)

Nenhum comentário:

Postar um comentário