Opúsculo de um Vencido

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Epifania Niilista

Nesta nojenta esfera azulada!
Um mostro prepotente e arrogante,
Ora vê perto, o seu fim distante,
Ao aceitar, enfim, que não é nada!...

Renego esse critério absoluto
E lanço à lama a máscara cristã:
Deus não existe e nem sequer Satã...
Nascer é epifania para um luto...

Moral prostituída e tarifada!...
Ratos gordos que brigam por migalhas...
A fé que se tornou a algoz cilada...

- É para ser vegeto que trabalhas!...
A Alma por "vazios" foi infectada...
E a morte é a perfeição em suas falhas!...

( Queiroz Filho )

domingo, 10 de novembro de 2013

Maturidade à L.A.C.

A vida, ó meu Amor, a vida passa!
Ligeira como uma chuva de verão,
Então, se hoje tu tens meu coração,
Apressa-te a enchê-lo dessa graça

Que em duas, uma vida, cá enlaça,
E doura de ilusões nossos caminhos!
Até que enfim sejamos dois velhinhos,
Sem ímpetos ingênuos ou trapaça...

Se existe no amor algum requinte,
Decerto é esse nosso almo respeito.
A maquilagem exclua; não se pinte!...

Descanse tua cabeça em meu peito,
Perdemos a euforia de ter Vinte,
Mas somos um ao outro, insuspeito...

( Queiroz Filho )