Opúsculo de um Vencido

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Apogeus

Apogeus (Para Ninha)

No tenebroso Inferno que é a vida,
Sagrou-se a minha Alma, irmã da tua,
Por isso em tuas lágrimas estua
O fel da minha dor incompreendida.

Só o teu materno Espírito altruísta
Ergueu-me ao limiar dos Apogeus;
Depositou-me sobre as mãos de Deus
E fez de ti meu sábio João Batista...

Oh! Mãos de absoluta plenitude,
Às tuas Sacras sombras nos transporte!
Se aqui te amei abaixo do que pude,

Refaz meu coração; O desentorte!
Dessa Alma boa, ensina-lhe a Virtude,
Ensina-me a ter Paz n’hora da morte.

(Queiroz Filho)

Nenhum comentário:

Postar um comentário