Opúsculo de um Vencido

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Reflexo

Não espero fazer falta quando for...
Não quero ter um amor que me lastime.
Se mesmo em vida a morte me oprime,
Darei a minha morte o meu amor!

Se a consciência é Paz; se ela é dor;
Se a paz em demasia me comprime,
A dor será meu cúmplice no crime
De ser do altruísmo, um desertor?

Quando a velhice for um adversário,
Aonde eu buscarei tua companhia?
Quem lembrará o meu aniversário?

Que filho beijará minha mão fria?
Morrer é mais que um ofício solitário,
É ser na Noite a Luz do meio-dia!...

Queiroz Filho